Parece Coisa De Outro Mundo.

  Marcel Cruz, um dos músicos organizadores do bloco diz que o grupo ainda fará aparições surpresa na cidade entre as saídas oficias que serão anunciadas nas páginas do grupo nas redes sociais. Ele conta que o bloco deve manter os temas tradicionais nos desfiles. “O Garibaldinho é voltado ao universo infantil. No desfile da Marechal, em geral a regra é o Seja quem você quiser”, e no Sítio Cercado ainda não decidimos o tema”, explica. Cruz diz que espera que o tempo ajude para que o grupo mantenha a média de frequência entre 10 e 20 mil foliões no centro de Curitiba. Em 2018, o bloco não receberá cachê da administração municipal (terá apoio somente com a estrutura), mas Cruz garante que os G&S não vão deixar a peteca cair por isso. “Vai ser a alegria de sempre. Quem quiser dar uma força aceitamos de bom grado”, disse. O Garibaldis e Sacis surgiu em 1999, criado por músicos e foliões pessoas ligadas à Faculdade de Artes do Paraná (FAP), ao grupo Mundaréu, e a outros grupos artísticos e teatrais da cidade. O nome é o uma alusão ao itinerário que o bloco fazia no início desde o hoje extinto Saccy Bar, no Largo da Ordem, até a praça Garibaldi no São Francisco.

A mulher contou que tentou correr e apagar o fogo, mas não deu tempo. “Foi muito rápido. Parece coisa de outro mundo. Não deu tempo de fazer nada e o fogo já tinha tomado a casa toda”. Os bombeiros chegaram e precisaram agir de uma forma rápida para evitar que o incêndio atingisse as casas vizinhas. “O fogo estava muito alto mesmo. Tentamos salvar o que conseguimos, mas a parte residencial do terreno queimou por completo”, explicou o tenente Hunzicker. Depois que os bombeiros liberaram para que a família entrasse no terreno, que pertence à filha de Célia, os moradores se surpreenderam com o que viram. “A única parte da casa que ficou intacta é o quarto de Exu.

são josé dos pinhais
2018-01-11 / Posted in